Você está aqui

Jornalista Luiz Corrêa realiza palestra em homenagem aos 109 do nascimento de Chico Xavier

Enviado por murilo em qua, 04/17/2019 - 12:45

O Jornalista Luiz Cor­rêa da Silveira Filho re­alizou na quinta¬-feira, dia 27 de março em Três Lagoas(MS), no Centro Espirita Centro Espírita Fé e Caridade, Casa da Sopa, localizado na Rua Au­gusto Correia da Costa, Jardim Alvorada em Três Lagoas (MS). Luiz Corrêa estará homenageando e lembrando do Missioná­rio do Amor, o médium Francisco Cândido Xavier, pelo seu nascimento, 02/04/1910, 109 anos.

O jornalista Luiz Cor­rêa da Silveira Filho, di­retor dos Jornais Correio de Três Lagoas e Jornal Espírita de Três Lagoas, sempre viaja pelo Brasil, divulgando a vida de Chico Xavier.

Três Lagoas foi a primeira cidade no Brasil a homenagear Chico Xa­vier após a sua desencar­nação, dando o nome dele à rua do Grupo Espírita José Grosso e Maria João de Deus.

História de Luizinho e Chico Xavier

Nas palestras, Luiz Corrêa conta que depois de 58 dias da perda mate­rial da filha, foi aconselha­do por amigos a ir, com a família, a Uberaba-MG, conhecer o médium mi­neiro. Chegaram numa quarta-feira e o Chico só trabalhava no sábado. Lembra que ficou de quar­ta-feira até sábado muito abatido e chorava muito , em frente à casa de Chico Xavier. Os vizinhos, com pena da família, no sá­bado logo cedinho orien­taram eles para ficarem ao lado do portão, pois por ali o Chico parava e atendia a todos, Foi aí que eles fica­ram num empurra-em­purra, pois todos também queriam ver e falar com o médium.

Luiz Corrêa ficou ali na esperança de falar com Chico, quando no sábado, às 18h30, seu filho adotivo, Eurípedes Higino dos Reis, saiu dirigindo o carro, quando Chico sorriu para ele, mandou o filho parar e lhe perguntou porque chorava. Ele respondeu que havia perdido a filha. Chico perguntou: “Como ela se chama?” “Elaine”, respondeu Luizinho. “Sua filha se chama Heleyne – com H e com Y”, enfatizou Chico. Luiz chorou muito, pois a sua filha tinha um charme com o nome dela. Se alguém dissesse que ela se chamava Elaine, ela ficava brava e dizia: Meu pai me registrou assim: Heleyne – com H e com y”. Luiz Corrêa percebeu que sua querida filha estava ali, viva; era ela mesmo. Chi­co chamou Luiz para ir ao Centro Espírita. Naquela madrugada, ele recebeu uma linda e esclarecedo­ra carta de sua filha, que assinava: Heleyne Cristi­na, assinatura autentica, a mesma dos documentos.

Nas palestras, Luiz Corrêa narra toda a sua gratidão e amor a Chico Xavier. Esclarece também sobre a cura de seu filho Adriano, e outros relatos da grande amizade com o Chico, surgida pela dor da perda da filha querida, fato que desde 1987 até a sua desencarnação, em 30 de junho de 2002, fez nas­cer essa grande amizade entre ele e o médium.

No evento nacional, em abril de 2002, nas comemorações dos 100 anos de Chico Xavier, foram quatro convidados para, em Uberaba-MG, homenagear os 100 anos do Chico. Na Casa máster do Espiritismo, com mais de 110 anos de fun­dação, Luizinho foi quem encerrou todas as home­nagens ao Chico; com a Casa lotada, ele falou de sua amizade com o missio­nário do amor e do bem; disse que agradece a Deus por ter conhecido Chico Xavier. O famoso cantor espírita Sérgio de Carva­lho foi o convidado da noi­te, na abertura da palestra do Luizinho. Familiares e amigos do Chico super­lotaram a Casa.

Em 2015 e 2.016, o Jornalista Luiz Corrêa foi homenageado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul como melhor profissional da imprensa do Estado de Mato Grosso do Sul.

Em Uberaba, na palestra desta quinta-fei­ra, acompanhará o Jorna­lista, seu amigo e Juiz Fe­deral Dr. Fernão Pompeio de Camargo.

No final das palestras, Luizinho tem o hábito de distribuir várias fotos, jornais espíritas e DVDs sobre a vida e a missão de Chico Xavier.

Da Redação