Você está aqui

Vânia Pauletti em nome iluminada escreve: Deus nos compreende

Enviado por Redação em qui, 09/13/2018 - 13:26

Deus único, justo e bom, como criador de todos os espíritos, concede a seus filhos o livre arbítrio. É por meio de suas ações que eles sofrem ou não as consequências dos seus atos rumo à evolução moral. Não é Deus o responsável por punir o homem; mas ele mesmo, que por suas escolhas e atitudes, está sujeito à lei natural de ação e reação. Também lhe permite reparar os próprios erros por meio da reencarnação, quando volta a ocupar um corpo material em busca do aperfeiçoamento pessoal e de acordo com as suas escolhas.
Portanto, cabe a nós vivenciarmos e aprendermos com as consequências de nossos atos, observando e gravando em nossas próprias existências o ensinamento vivo do Mestre e de tantos outros irmãos aprendizes ao longo de nossa jornada.
Caminharemos, muitas vezes, no mundo, à maneira de barco no oceano revolto sob a ameaça de submergir, a cada momento; entretanto, pensemos em Deus primeiro e encontraremos o equilíbrio que reina inviolável no seio dos elementos. E
se a natureza parece descer à desordem, prenunciando catástrofe, não deixemos que a nossa palavra se converta em agente da morte; falemos em Deus primeiro.
Antes das destruições que hoje atribulam a Humanidade, outras destruições ocorreram ontem, mas Deus plantou, em silêncio, novas cidades e novos campos onde a ventania da transformação instalara o deserto.
Conseguimos perceber, hoje, que Deus será sempre o nosso refúgio diário, em qualquer situação, em qualquer dificuldade. Assim, se rogarmos algo à Divina Providência, não nos deixemos mergulhar na aflição improdutiva, capaz de conturbar-nos o ambiente, retardando a concessão que desejamos; continuemos, sim, no trabalho que o mundo nos conferiu, esperando pela manifestação do Poder Divino, através das circunstâncias do caminho em que nos encontramos.
Sejam quais forem os obstáculos que nos surjam à frente, na expectativa do apoio que solicitamos do Alto, não nos desesperemos e nem nos sintamos sem força. Desânimo é fruto envenenado da ilusão que alimentamos a nosso respeito. Venha o desanimo como vier, certifiquemo-nos de que a forma ideal para arredar-lhe a sombra será compreender, auxiliar e servir sempre.
Prossigamos adiante, confiando na Presença e na Justiça de Deus e Ele nos concederá, hoje e sempre, tudo aquilo que nos seja melhor e, sentindo que a nossa vida é uma bênção de luz, para sempre guardada nos braços do Amor Eterno, entreguemos o nosso coração conturbado ou ferido, servindo em favor dos que nos amparam ou desajudem, entendem ou caluniem.
Ainda que todos os apoios humanos nos falhem de improviso, nada precisaremos temer porque não estamos sozinhos nas lutas do mundo. Temos conosco, à frente e à retaguarda, à esquerda e à direita, a força do companheiro invisível que nos auxilia sem perguntar e que nos provê com todos os recursos indispensáveis à paz e à sustentação de nossos dias.
Fracasso é lição. Dor é iluminação. Dificuldades são oportunidades de progresso. Trabalhemos no bem e o bem responderá com a serenidade na nossa consciência, pois tudo ocorre visando ao progresso das criaturas.
O Pai Celeste ama, trabalha e serve sem descanso, acredita em nosso amor, no nosso trabalho e na nossa capacidade de servir. Sem nos apercebermos, em silencio, Ele nos acompanha os pequeninos progressos e se alegra com os nossos mais íntimos triunfos, assegurando-nos tranquilidade e vitória. Salvou-nos ontem e nos salvará também hoje.
Em qualquer tempo, lugar, dia ou circunstância, em que nos sintamos à beira da queda, na tentação ou na angustia, chamemos por Ele. Ele nos compreende e nos atenderá sempre. .
Vânia Pauletti vaniacbp@terra.com.br

Vânia Pauletti